Portal da Cidade Brusque

Paróquia São Luís Gonzaga celebra ordenação presbiteral do padre Willian Vogel

A ordenação foi presidida pelo arcebispo, Dom Wilson Tadeu Jönck, na manhã deste sábado, 19 de outubro, na Igreja Matriz São Luís Gonzaga

Postado em 20/10/2019 às 18:24 |

(Foto: Divulgação/Reprodução)

O Arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, scj, esteve em Brusque neste sábado (19) para a ordenação presbiteral do agora padre, Willian Voguel. A celebração eucarística ocorreu na Igreja Matriz São Luís Gonzaga e estiveram presentes muitos representantes da Arquidiocese de Florianópolis, entre padres, diáconos, e cerca de 200 seminaristas, que tiveram a oportunidade de participar da ordenação. Após a missa foi servido um almoço para todos os convidados, em um momento de confraternização e acolhida, juntamente com a família do padre Willian.


Imposição das mãos e Prece de Ordenação

O segundo grau da Ordem Sacerdotal foi conferido a Willian através da imposição das mãos do Bispo e a Prece de Ordenação. Dom Wilson Tadeu Jönck enfatiza a importância das celebrações de ordenação para a diocese. "A vocação é o dom de Deus e um padre é um presente de Deus. É assim que queremos receber e tratar o Pe. Willian. Agradecemos muito a ele, exatamente por essa generosidade, como ele foi trabalhando esta certeza dentro dele e que culminou hoje com sua ordenação. Por outro lado, também quero deixar meu agradecimento tanto à Paróquia São Luís Gonzaga quanto à Comunidade Sagrado Coração de Jesus, onde mora a família do Willian, por esse momento. É a fé desta comunidade, aquilo que se viveu, que fez nascer e se desenvolver esta vocação. Que Deus olhe e cubra de bênçãos todas essas comunidades da Paróquia São Luís Gonzaga", destaca. 


O 'sim' à vocação

O pároco, padre Diomar Romaniv, enfatiza que para a igreja é uma satisfação ordenar um sacerdote e, nesta oportunidade, um jovem padre, sinal de esperança. "É uma responsabilidade, pois envolvemos uma série de atividades que preparam este momento, porém uma experiência bonita, de harmonia, espiritualidade e de oração", relata. Toda a Arquidiocese de Florianópolis foi acolhida em Brusque, na Igreja São Luís Gonzaga. "É a expressão da caminhada da Igreja, que vive da vocação e o chamado que Deus faz", acrescenta. 

A celebração relembrou aos padres presentes o momento que disseram 'sim' à vocação. "Ser padre é uma graça de Deus. Olhar para as mãos ungidas, que é um dos momentos significativos, e pensar que essas mãos foram ungidas para abençoar, perdoar, consagrar e ungir as pessoas doentes e idosas é uma graça de Deus. Levar aquilo que a Igreja recebeu de Jesus, ser presença de Cristo no mundo. Poder participar de uma ordenação sempre é para o padre a oportunidade de recordar o dia que foi ordenado e, também, renovar os compromissos que naquele dia foram feitos com alegria e emoção. Por isso, hoje para mim foi como voltar naqueles anos atrás, em todos os momentos da Ordenação, que jamais são esquecidos na vida de um padre", recorda o pároco. 


“Nada temas, eu te chamo pelo nome, tu és Meu” (Is 43,1)

Em sua última semana como diácono, durante o Rito de Ordenação, Willian Vogel viveu dias intensos e de grandes emoções, resumidos por ele como o 'profundo amor de Deus penetrando em sua vida'. Foram períodos em que reviveu o passado do menino do bairro Guarani, que nasceu em 18 de agosto de 1993, e queria ser padre desde suas primeiras decisões, ainda criança. Das brincadeiras de infância, ele sempre preferia simular a celebração de uma missa em casa com amigos ou brincar de atuar no teatro da Paixão de Cristo. Willian organizava tudo, reunia as crianças da rua para fazerem isso juntos. Ao retornar da missa com os pais, trazia o folheto da celebração e rezava tudo novamente. 

Agora, adulto, se tornou padre. Foi ordenado diácono em 11 de maio e recebeu o Sacramento da Ordem presbiteral neste sábado. Conhece os desafios atuais e os que virão, mas conhece, também, sua função como sacerdote. Em sua missa de ordenação, o sentimento era de gratidão e amor a Deus, o tempo todo. Sobre seus primeiros passos como padre, inicialmente, quer agradecer. "A todas às pessoas que estiveram aqui, que me deram força e coragem para continuar nessa caminhada, agradeço também aos que não puderam vir, mas que rezaram e torceram por mim das suas casas. Agradeço à minha família, aos benfeitores e às pessoas que preparam toda a celebração", diz o novo padre que, ao final da missa, recebeu centenas de fiéis que não mediram esforços para participarem da celebração e receberem sua bênção. 

Agora, o neo-sacerdote será vigário da Catedral Metropolitana de Florianópolis, e dará sequência aos estudos no Instituto Superior de Direito Canônico de Santa Catarina, onde faz o mestrado Eclesiástico em Direito Canônico.

A bênção de pai e mãe

Por duas horas e quarenta minutos, Elita Mafra Vogel não conteve a emoção. Ao lado do esposo, Aderli Vogel e da filha Ana Vitória Vogel, participou da celebração que ordenou seu filho a padre. Cada etapa da vida do filho foi marcante para a família. "Costumo dizer que só uma mãe e Deus sabe o que passa em nosso coração. Tudo que ele passou estivemos juntos e agora pensamos como passou rápido", relata. O pai Aderli relembra o quanto a vida religiosa da família foi importante para encarar a missão sacerdotal do filho e nunca deixar de dar o apoio que ele precisava, afinal, Willian saiu de casa aos 14 anos."Somos bastante unidos e participativos na igreja. Willian sempre teve sua vocação e o dom de Deus, desde pequeno já tinha vontade de ser padre", conta.

Os pais recordam os tempos de infância do filho que sempre quis ser padre, mas nunca imaginavam que Willian chegaria tão longe, que levaria tão a sério sua vocação. "Quando ele pediu a nós para ir ao Seminário, foi por livre e espontânea vontade, nunca dizemos não a vontade dele. Hoje nosso coração está a mil", emociona-se Aderli.

Dos pais, uma mensagem a Willian: "Que Deus abençoe você, Willian, hoje e sempre, pois você foi e é uma graça para nós. De agora em diante, nós é quem iremos te pedir a benção, pois até hoje a gente abençoava você. Não foi fácil entregar você, mas também não foi difícil, pois a gente sabe que agora você vai servir a Deus e ao povo e a gente te ama muito".

Os avós Claudino Vogel, Marta Schlindwein Vogel e Maria Felipe Mafra estavam lá também, além de demais parentes de Willian. Não só eles, toda a comunidade se fez presente na Matriz para ser testemunha de um momento tão especial para eles, que viram Willian nascer, crescer e viver cada vez mais movido pela vocação.

Primeira missa

Padre Willian celebrou sua primeira missa no domingo, 20 de outubro, às 10 horas da manhã, na Comunidade Sagrado Coração de Jesus, no Guarani, seu bairro de origem, seguido de almoço festivo preparado pela comunidade.

Fonte:

Deixe seu comentário