Portal da Cidade Brusque

FUTEBOL

Relembre casos de clubes de fora que adotaram o Augusto Bauer como casa

Além do Figueirense, que deverá jogar o restante do estadual no Gigantinho, Metropolitano e Barra mandaram seus jogos no estádio na história recente

Postado em 29/06/2020 às 10:03 |

(Foto: Elton Marinho/Mafalda Press/Gazeta Press)

(Foto: Lucas Gabriel Cardoso/O Cancheiro)

O acordo entre Figueirense e Carlos Renaux para que o clube da capital dispute seus jogos restantes do Campeonato Catarinense no Augusto Bauer é questão de detalhes. Na sexta-feira passada (26), dirigentes dos dois clubes estiveram no estádio para vistoriar o local e costurar o acordo. O Figueira jogará no estádio pelo fato de não poder mandar seus jogos no Orlando Scarpelli, por conta das restrições ocasionadas pela pandemia do novo coronavírus em Florianópolis.

O Carlos Renaux, através de seu presidente, Altair Heck, confirmou a diversos veículos que já existe um acordo verbal para que o Gigantinho seja a casa do Figueira no estadual. O Alvinegro, entretanto, adota cautela. Por meio da assessoria, o clube afirmou que “as conversas estão adiantadas para mandar o jogo lá (em Brusque), porém, ainda não está definido”.

As duas equipes podem se enfrentar nas semifinais, o que levaria o Figueirense a escolher outra sede para mandar seus jogos.

Portal da Cidade Brusque relembra dois casos recentes de clubes de fora de Brusque que optaram pelo Augusto Bauer como casa para mandar seus jogos:

Rival em terras adversárias

Maior rival do Brusque, o Metropolitano adotou o Augusto Bauer como casa em 2008. O time blumenauense não pôde mandar seus jogos no SESI, que estava em obras e optou pelo Gigantinho em uma reunião ainda no final do ano anterior. O time de Blumenau até cogitou e fez vistorias no estádio Cônsul Carlos Renaux, do Paysandu, mas acabou escolhendo o Gigantinho pelo valor do aluguel e por reunir mais condições de sediar uma partida profissional.


Foto: Elton Marinho/Mafalda Press/Gazeta Press

Como mandante no Augusto Bauer, o Metropolitano teve um bom retrospecto, apesar de ter estreado no estádio com uma derrota por 4 a 1 para o Criciúma, na segunda rodada do estadual daquele ano. Depois disso, foram outras quatro partidas no local, com três vitórias e um empate para os blumenauenses, que disputaram somente o primeiro turno do Campeonato Catarinense de 2008 em Brusque. Na segunda etapa do estadual, o Metrô migrou para Timbó.

Vale lembrar, que ainda em 2008, como visitante, o time de Blumenau foi derrotado pelo Brusque por 2 a 0 na abertura do campeonato. No mesmo ano, o Verdão classificou-se pela primeira vez para uma competição nacional: o Campeonato Brasileiro da Série C. Outro ponto a ser destacado nessa curta trajetória do time de Blumenau por Brusque foi a boa presença de público, apesar dos mais de 40km de distância entre as cidades. O Metropolitano teve uma média superior a 1000 pessoas por jogo no estádio.

Barra estreia na segundona em Brusque, mas não empolga

Outro caso recente de times de fora de Brusque mandando seus jogos no Augusto Bauer foi o do Barra, de Balnéario Camboriú, que mandou seus jogos da Divisão Especial do Catarinense no estádio em 2016.


Foto: Lucas Gabriel Cardoso/O Cancheiro

Ao contrário do Metropolitano, o recém promovido Barra levou baixos públicos aos jogos. A campanha, também foi tímida. O time ficou apenas na sétima posição na segunda divisão estadual. Nos anos seguintes, o clube balneocamboriuense escolheu jogar em um local mais próximo: o estádio Camilo Mussi, em Itajaí.


Fonte:

Receba as notícias de Brusque no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário