Portal da Cidade Brusque

SAÚDE ANIMAL

8 dicas importantes para você manter o bem-estar do seu pet no Verão

Cães e gatos também sentem calor e podem sofrer com altas temperaturas.

Postado em 16/12/2019 às 14:07 |

(Foto: Arquivo/Portal da Cidade Brusque)

Quando o calorzão típico do verão chega, o que a gente mais quer é sombra e água fresca. E também sempre há os cuidados para garantir a hidratação, evitar as queimaduras pelos raios solares e garantir uma alimentação mais leve.

Mas e os bichinhos de estimação? Você, que tem cão ou gato, sabia que esses animais também precisam de cuidados especiais durante a estação mais quente do ano?

O Portal da Cidade Brusque conversou com os médicos veterinários Edson Rogério de Souza e Lucas Felipe de Souza, do Hospital Veterinário SOS Animais, para que você saiba como garantir o bem-estar do seu animal de estimação no Verão. 

As raças que demandam cuidado redobrado
As raças de cachorros que mais sofrem com as altas temperaturas são braquicefálicos, os de focinho curto, como bulldog e pug. E também os que estão acima do peso. “As glândulas sudoríparas (que produzem calor), tanto nos cães, quanto nos gatos, desempenham uma importante função para a integridade da pele, mas não ajudam na termorregulação como para nós humanos”, destaca o dr. Edson Rogério de Souza. 

O médico veterinário explica que, por isso os cães controlam a temperatura pela boca e transpiram pela almofadinha da pata (coxim) e pelo focinho. Como as raças mencionadas acima têm o focinho achatado, a respiração e a liberação do calor ficam mais comprometidas.

Anote as dicas pra garantir o bem-estar do seu bichinho no Verão
Para fugir do calor intenso, você certamente busca um local com sombra, ventilado, roupas leves e muita hidratação, certo? Com os animais os cuidados são bem parecidos. 

Certifique-se de que o bichinho tenha sempre água fresca por perto. Uma dica importante que o médico veterinário Lucas Felipe de Souza para os tutores que passam o dia todo fora é espalhar potes de água por locais diversos da casa, todos em sombra.

“Em dias de calor extremo também é válido colocar pedras de gelo na água do animal. O material do bebedouro também faz diferença na hora de manter a temperatura mais agradável. Os de cerâmica são mais recomendados que os em acrílico”, pontua.

Gatos também precisam de cuidados
O dr. Edson ressalta que os felinos são mais resistentes ao calor porque, além das almofadinhas das patas, também transpiram por outras glândulas espalhadas pelo corpo.  

Porém, os gatos já costumam beber menos água e no verão precisam de maior hidratação. “Os gatos são mais pré-dispostos a ter problemas renais. Nos dias mais quentes é preciso inovar para garantir que o bichinho consuma mais água. As fontes próprias para animais são uma excelente alternativa, já que gatos adoram água corrente”, diz dr. Edson.

Pra passear também tem hora certa
Lembre-se de que os animais não usam calçados e, por isso não têm proteção contra o solo quente. É melhor evitar passeios nos horários de sol forte.  

“As almofadinhas das patas, denominadas de coxins, são bastante sensíveis. Por isso, uma dica é trocar os passeios no asfalto por um local com grama ou areia”, pontua dr. Lucas.

Ele também destaca que, além disso, nos horários mais quentes, entre 10h e 16h, o nível de radiação UVB é bem mais alto. “Isso pode causar desde irritações e até mesmo o câncer de pele. Se a exposição ao sol for inevitável, recomendo o uso de protetor solar próprio para pets, ou então uso de roupinhas com proteção contra raios ultravioleta. A hidratação também tem que ser maior. Deve-se oferecer água ao animal a cada 20 a 30 minutos”.

Passeio de carro é seguro pro animal?
É. Se seguir as leis de trânsito e se atentar a detalhes que garantem o bem-estar do animal. É de extrema importância deixar o ar-condicionado ligado ou os vidros abaixados para garantir a circulação de ar. 

Se decidir fazer uma parada, nunca deixa o pet preso dentro do carro com os vidros fechados. Mesmo que por alguns minutos. Isso pode matar o bichinho por causa de um fenômeno chamado intermação.

“A intermação ou hipertermia acontece quando a temperatura do corpo ultrapassa os limites fisiológicos que permitem a troca de calor com o ambiente. Órgãos e sistemas começam a falhar. O pet pode desmaiar e se não socorrido a tempo pode ter uma parada cardíaca e ir a óbito”, alerta dr. Edson.

Aumentar a quantidade de banhos ajuda o animal a se livrar do calor?
Sim, mas tem um limite. No verão, cães e gatos podem tomar, em média, um banho por semana.  

Porém, banho em excesso pode fazer mal ao bichinho. “A grande quantidade de banhos acaba removendo boa parte da proteção natural da pele do pet. Isso faz com que ele fique mais exposto a determinados problemas, como alergias”, diz dr. Lucas.

O médico veterinário também alerta que o banho não deve ser dado em água gelada, mesmo nos dias mais quentes.

“A temperatura da água deve estar agradável. Nem muito quente, nem muito fria. Os ouvidos do pet devem ser sempre protegidos. Uma dica simples é colocar algodão, e removê-lo assim que o banho terminar. Outro ponto importante é sempre usar shampoos e condicionadores específicos para animais. Por último, secar bem os pelos é de extrema importância. Pode-se utilizar uma toalha para retirar o excesso de água, mas mesmo no verão deve-se usar o secador, com temperatura agradável, já que a umidade favorece a proliferação de fungos e bactérias”, afirma dr. Lucas.

Então tosar o belo bem curto é sempre a melhor opção?
Calma lá! Algumas raças originárias de locais muito frios, como o Husky Siberiano e São Bernardo, por exemplo, sofrem mais com o calor e a tosa ajuda a refrescar. 

Porém, existem orientações importantes e específicas que devem ser seguidas para cada tipo de pelagem.

“Em raças com pelagens densas, como Spitz Alemão, Chow Chow, Persa, entre outras, não é indicada a tosa com pelo muito baixo, com máquinas ou adaptadores. Pois, nestes casos há o risco de ocorrer a alopecia pós-tosa, que é a demora do crescimento do pelo em determinadas áreas tosadas. Para esses casos citados, a indicação é que se apare apenas os excessos”, diz dr. Edson.

O médico veterinário explica que, independente da raça, o pelo tem a função de isolante térmico e proteção natural. Por isso, tosar completamente a pelagem do animal, expondo a pele, aumenta o risco de queimaduras.

“Na dúvida, antes de tosar é importante procurar um médico veterinário para ter a indicação correta”.

Viroses e outras doenças graves também são mais comuns no verão
Algumas doenças virais costumam ser letais para cães e gatos, caso a vacinação não esteja em dia. E no verão, o risco de contaminação pode ser ainda maior.

Isso porque nesta época do ano a rotina dos humanos e, consequentemente a dos pets, muda. Pois há mais passeios, viagens e, com isso, mais contato com ambientes novos.

“Além dos alertas com as altas temperaturas, os tutores devem se atentar para que os animais não sejam acometidos por doenças virais como Parvovirose, Cinomose e Leptospirose, que aumentam significativamente no verão”, ressalta dr. Lucas.

Outro ponto que o médico veterinário alerta é quanto a proliferação de pulgas e carrapatos. Manter o animal com a vacinação atualizada e protegido contra parasitas também é fundamental para mantê-lo saudável.

Anotou as dicas? Agora é só curtir as férias de fim de ano e o verão do jeito que você e seu pet gostam. Caso ainda tenha alguma dúvida, basta contatar o Hospital Veterinário SOS Animais, em Brusque.

O Hospital Veterinário SOS Animais conta com agilidade e precisão no diagnóstico. Para isso, possui ultrassom, eletrocardiograma, radiologia digital e laboratório de análises clinicas próprio. Para exames mais complexos, possui convênios com os melhores laboratórios do país.


Além de ser um Hospital, a SOS Animais possui farmácia veterinária, serviço de estética e ampla Pet Store, com as melhores marcas de ração, alimentação natural, variedade em brinquedos e perfumaria.


A SOS Animais está situada na Avenida Getúlio Vargas, 11, no centro de Brusque. Para saber mais, acesse as redes sociais:

O telefone para contato é (47) 3351-0670, urgências e emergências: (47) 9 8828-8002.

Fonte:

Deixe seu comentário