Portal da Cidade Brusque

Opinião

Sem Blá, Blá, Blá! Privatização fake do SUS: o golpe de mestre da esquerda

O jornalista Wilson Schmidt Junior fala sobre a polêmica envolvendo o Sistema Único de Saúde

Postado em 29/10/2020 às 10:36 |

(Foto: ilustração)

Nesta terça-feira (28) os brasileiros acordaram com a notícia de que o Sistema Único de Saúde (SUS) seria privatizado.

De um lado a ala libertária da sociedade se deleitou em um orgásmico delírio com a possibilidade, já almejando uma diminuição considerável do Estado e dos encargos que somos coagidos/obrigados a pagar anualmente.

Já a parcela mais a esquerda imediatamente começou a se mobilizar, criar hashtags no Twitter, abaixos-assinados e, claro, a vociferar ferozmente contra Jair Messias Bolsonaro, sugerindo que seria essa mais uma tentativa pueril de matar pobres e desassistidos.

Bom… Só esqueceram de avisar o Governo Federal de que o SUS seria completamente entregue para a iniciativa privada.

Dessa vez a esquerda se superou. Por meio de manchetes sensacionalistas, fake news descaradas e de um verdadeiro maremoto num copo d’água, levaram direitistas e esquerdistas a acreditarem em algo que sequer é possível sem uma nova assembleia constituinte.

Gente, minha gente… O acesso universal a saúde está previsto no artigo 196 da Constituição Cidadã e eu cito: “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

Eu devo confessar. Também fui vítima dessa fake news. Comunicador desde 2012, com larga experiência jornalística, acabei “caindo” na lábia de manchetes ultra-sensacionalistas de portais consagrados de comunicação. Aqueles que comumente costumamos chamar de “referência”.

Apenas depois de me aprofundar no assunto é que eu fui descobrir que, na realidade, não tem ninguém querendo privatizar o SUS, não tem ninguém querendo cobrar do mais pobre o acesso a saúde. O que há, na verdade - e vou negritar e deixar em caixa alta para ficar bem claro - UM ESTUDO, UMA CONSULTA PARA QUE EMPRESAS DA INICIATIVA PRIVADA CONSTRUAM E MANTENHAM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (OS POSTINHOS) QUE IRÃO CONTINUAR GRATUITAS!

Uma iniciativa deveras louvável que, após implementada, teria o potencial de melhorar significativamente a saúde pública no Brasil, através de incentivos fiscais para as empresas envolvidas neste grandioso projeto que, repito, está apenas em fase de estudo de viabilidade.

BÔNUS TRACK: para complementar a informação, 54% do SUS já é privado, com atendimento gratuito em entidades privadas como o nosso Hospital Azambuja e o Dom Joaquim, por exemplo.

Descansa, militância. Não foi dessa vez.

por Wilson Schmidt Junior


Fonte:

Receba as notícias de Brusque no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário