Portal da Cidade Brusque

Oito a sete

Redução de Vereadores é reprovada na Câmara

Principais argumentos contrários defendiam a representatividade da proposta. Favoráveis falavam em economia

Postado em 14/05/2019 às 22:36 |

(Foto: Marcelo Gouvêa / Portal da Cidade Brusque)

Os debates sobre a possível redução do número de vereadores de 15 para 11 parlamentares terminou com a rejeição do projeto. Antes da definição, os representantes do Legislativo divergiram sobre a proposta e isso se refletiu no placar de oito a sete.

O primeiro vereador a se pronunciar foi um dos proponentes da iniciativa, Ivan Martins. Ele  defendeu a proposta pela economia gerada. Segundo o vereador a economia geral seria de cerca de R$ 400 mil anuais caso a medida seja aprovada.


A medida tramitava no Legislativo desde 2017. Segundo o vereador proponente, por já ter atuado em legislaturas com um número menor que os 15 parlamentares atuais, não via mudanças marcantes na atuação do órgão.


Para o Marcos Deichmann a proposta não colabora com a diversidade da Câmara de Vereadores e favorece quem já possui capacidade de investimento ou a máquina pública a seu favor. Segundo ele, a alegação de economia não procede por conta do gasto enxuto já registrado pelo órgão público.


Representatividade

Na avaliação dele, a medida restringiria a diversidade social do Legislativo.“Quem é de bairro, como eu, dificilmente terá acesso”, comentou. Outro ponto levantado por ele, foi a maior facilidade de negociações para aprovação ou reprovação de medidas.


Também contrário, Leonardo Schmitz, lembrou da possibilidade de redução dos vencimentos do Legislativo, como alternativa para reduzir os gastos da casa. “Então vamos propor que a casa proponha a diminuição do salário pela metade, daí sim teremos uma economia sem diminuir a representatividade”


Gelson Morelli trouxe um levantamento sobre o número de votos da última eleição dos colegas para verificar quais não estariam exercendo o papel de vereador. Com base nos números da votação, Marcos Deichmann, Leonardo Schmitz, Claudemir Duarte, Ana Helena Boos estariam fora do Legislativo. Na mesma linha, Celso Emydio reforçou que propostas do tipo enfraquecem a democracia.


Ao término das discussões que exigiram que que a sessão fosse estendida, a proposta foi rejeitada com votos de Marcos Deichmann, Celso Emydio, Leonardo Schmitz, Claudemir Duarte, Alessandro Simas, Cleiton Bittelbrunn, Gerson Morelli e  Ana Helena Boos a proposta foi rejeitada. Já Sebastião Lima, Paulo Sestrem, Joaquim Costa, Ivan Martins, Jean Pirola, André Rezini e José Zancanaro eram favoráveis ao projeto.

Fonte:

Deixe seu comentário