Portal da Cidade Brusque

Julgamento

Justiça decide que ex-deputado João Pizzolatti aguarde jurí popular na prisão

Pizzolatti teria declarado a ingestão bebida alcoólica no dia do acidente que causou queimaduras de 1º e 3º grau nas vítimas

Postado em 04/10/2019 às 07:55 |

(Foto: Câmara dos Deputados Federais )

O ex-deputado federal João Alberto Pizzolatti Júnior, envolvido em um acidente de trânsito no dia 20 de dezembro de 2017 que resultou em ferimentos graves a um motorista na rodovia SC-421, entre Blumenau e Pomerode, irá a júri popular na comarca de Blumenau. Ainda segundo decisão prolatada na tarde desta quinta-feira (3) pelo Juiz de Direito, Juliano Rafael Bogo, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Blumenau, ele não poderá aguardar o julgamento em liberdade. 

Consta nos autos, que segundo a Polícia Militar Rodoviária, Pizzolatti teria declarado a ingestão bebida alcoólica no dia do acidente que causou queimaduras de 1º e 3º grau distribuídas pela região do abdome, mão direita, membro inferior direito e coxa esquerda da vítima. Testemunhas relataram que o ex-deputado federal transitava em zigue-zague pela pista antes da colisão. 

  “Conforme elementos de prova e considerações já mencionadas, há indicativo de que o acusado conduzia seu veículo automotor em rodovia com considerável movimentação de pessoas (pedestres, ciclistas, motociclistas e condutores de automóvel), com sua capacidade psicomotora substancialmente alterada, causando perigo para outras pessoas, a respaldar, em tese, a qualificadora do artigo 121, parágrafo 2º, III (perigo comum), que, portanto, deve ser mantida”, cita o magistrado em sua decisão. 

  O júri popular que definirá o desfecho do caso ainda não tem data para ocorrer. Até lá, o acusado permanece no Presídio Regional de Blumenau. Ele respondeu ao processo em liberdade, mas foi preso no dia 15 de maio deste ano por descumprir a medida cautelar de suspensão da habilitação para conduzir veículo automotor - ao ser flagrado dirigindo em Rio dos Cedros, no dia 29 de abril.

O acusado irá a júri popular e responderá a acusação de homicídio qualificado tentado. Da decisão, cabe recurso.


Fonte:

Deixe seu comentário