Portal da Cidade Brusque

REGIÃO

Motorista que matou jovem esmagada em Itajaí diz que "foi sem querer"

Suspeito de 35 anos estava embriagado durante depoimento, conforme Polícia Civil

Postado em 13/10/2021 às 17:28

(Foto: Reprodução)

O homem de 35 anos preso por matar Vanessa Machowski, de 18, após assediá-la em Itajaí, disse em depoimento à Polícia Civil que atropelou a jovem "sem querer". De acordo com o delegado Eduardo Ferraz, que fez o flagrante, Juciano Marinho Gomes estava embriagado quando foi ouvido no inquérito policial.

A defesa de Gomes disse que não vai se manifestar sobre o caso a pedido da família. O crime ocorreu na noite de domingo (10). Gomes foi preso em flagrante e a prisão foi convertida em preventiva na tarde de segunda (11).

Depoimentos

O flagrante e a tomada de depoimento foram feitos pelo delegado Eduardo Ferraz. "A versão que ele [suspeito] deu para a gente é que houve uma discussão com o namorado e a vítima. Não soube dizer por que, estava embriagado na hora. Disse que foi agredido pelo namorado e outras pessoas que estavam ali e, indo embora, acabou atropelando a vítima sem querer", relatou o delegado.

Conforme Ferraz, durante o depoimento Juciano tinha forte odor de álcool.

O namorado de Vanessa também prestou depoimento. "Disse que ele [suspeito] teria passado e mexido com a menina. Começaram a discutir, o homem entrou no carro, voltou e tentou atropelar os dois, mas acabou atingindo só ela", afirmou Ferraz.

O carro de Juciano foi apreendido e vai passar por perícia. O inquérito policial já foi entregue ao Ministério Público de Santa Catarina.

O sepultamento da vítima ocorreu na manhã desta terça-feira (12), no Cemitério da Fazenda, em Itajaí, segundo o namorado da vítima, Thiago Linhares da Veiga. Ele, porém, não quis se manifestar publicamente sobre a morte da companheira.

Prisão preventiva

Segundo a decisão da juíza Anuska Felski da Silva, da 1ª Vara Criminal de Itajaí, há indícios suficientes de autoria e prova de materialidade nos autos para a conversão da pena preventiva.

"Considerando o contexto social de violência em relação às mulheres, demonstra que medidas cautelares alternativas são insuficientes para evitar que o réu venha novamente dirigir embriagado, insultar mulheres supostamente desconhecidas na rua e agir de modo a ceifar-lhes a vida, o que, sem dúvida, gera intranquilidade no seio social, e reclama a medida extrema", escreveu a juíza.

O crime de homicídio qualificado é previsto no artigo 121, parágrafo 2° do Código Penal e prevê pena de 12 a 30 anos de prisão. Já a embriaguez ao volante, prevista no artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro, tem pena de 6 meses a 3 anos de prisão e suspensão da CNH.


Fonte:

Receba as notícias de Brusque no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias