Portal da Cidade Brusque

Trabalhadores

No Sintrivest, setor têxtil da Fetiesc discute pautas nacionais e melhorias

14 sindicatos da categoria foram representados. Conjuntura nacional, Reforma da Previdência, MP 881 e Liberdade Econômica pautaram a reunião.

Postado em 21/08/2019 às 13:59 |

(Foto: Divulgação )

Na última sexta-feira (16) o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Brusque e Guabiruba (Sintrivest) sediou a reunião do Departamento Têxtil da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fetiesc).

O evento reuniu representantes de 14 sindicatos da categoria, de todo o estado, que discutiram sobre a conjuntura nacional, a Reforma da Previdência, a Medida Provisória nº 881 da Liberdade Econômica, entre outros.

As reuniões do Departamento são realizadas a cada 45 dias, onde participam representantes dos 22 sindicatos têxteis do estado, filados ao Departamento. 

Discussões 

O objetivo do encontro foi conhecer as principais dificuldades dos sindicatos, bem como a busca de alternativas para que cada um possa fazer melhorias em prol dos trabalhadores, em sua região de atuação.

“Queremos buscar entendimento a respeito de todas essas situações que estão ocorrendo no país. Buscamos trocar ideias e fazer com que as entidades sindicais possam amenizar os problemas que o governo está causando aos trabalhadores. Tivemos a questão da Reforma da Previdência, e recentemente tivemos a MP nº 881, aprovada no Congresso e que retira o direito de trabalhadores, por exemplo, fazendo com que as empresas possam aplicar trabalhos aos domingos, sem pagar horas extras aos trabalhadores. Conversamos sobre esse e demais assuntos, para tentarmos evitar com que cada vez mais diretos sejam retirados”, declarou o secretário geral da Fetiesc, Landivo Fischer. 

Da mesma forma, a presidente do Sintrivest, Marli Leandro, ressaltou dois assuntos em pauta: as negociações coletivas, onde foi discutido o andamento das convenções coletivas de cada sindicato, as negociações que já iniciaram e as que ainda estão por vir. 

Outro foco foi relacionado à Medida Provisória, nº 881, e a preocupação dos sindicatos e da Federação em torno da medida.

“Na nossa avaliação essa MP trouxe prejuízo aos trabalhadores, pois mexe com algumas questões de jornada de trabalho aos domingos, em especial, e também com a questão familiar. Há uma preocupação, até onde essa Liberdade Econômica será benéfica para a classe trabalhadora. Em nossa avaliação é mais uma medida que vem ao encontro de várias perdas que os trabalhadores têm sofrido, de direitos, de benefícios, o que não é positivo para a sociedade brasileira”, acrescentou Marli. 

O coordenador do Departamento Têxtil, José Pedro Soares também ressaltou a importância das discussões e da união da força trabalhadora catarinense, na luta de melhorias para o setor têxtil.

“Vimos as principais dificuldades que os sindicatos estão tendo em sua região, para que em conjunto possamos fazer algo em prol dos trabalhadores. É uma satisfação muito grande estarmos em Brusque, que é um dos municípios com maior força do estado na área têxtil. Esperamos levar daqui para a Federação propostas consistentes, para fazermos mudanças em relação ao que está acontecendo com as nossas leis trabalhistas”, completou. 

13 anexos


Fonte:

Deixe seu comentário