Portal da Cidade Brusque

Desfecho

Obras da Rodovia Antônio Heil serão retomadas dentro de projeto original

Medida foi anunciada pelo secretário e Infraestrutura e Mobilidade, coronel Carlos Hasser, nesta quarta-feira (27), em reunião realizada em Brusque

Postado em 27/06/2019 às 09:04 |

(Foto: Ana Massambani/ Portal da Cidade Brusque)

As propostas de melhorias ao projeto de duplicação da rodovia Antônio Heil foram apresentadas nesta quarta-feira (27) ao Governo do Estado. A retomada dos serviços foi confirmada e parte das mudanças solicitadas pela comunidade local deve ser atendida pela Secretaria Estadual de Infraestrutura e Mobilidade.

No gabinete do prefeito Jonas Paegle, uma reunião sobre o tema concentrou representantes de Brusque, Itajaí, além do governo do estado. O estudo era desenvolvido há cerca de um mês por engenheiros das duas cidades. Nele são indicadas as demandas das comunidades dos dois municípios para a rodovia, que devem embasar futuras melhorias no entorno da pista.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Mobilidade, coronel Carlos Hasser, com acordo com a Compasa, empresa responsável, a pretensão do governo estadual é retomar os trabalhos na rodovia o mais rápido possível. A companhia assumiu após o rompimento com a Triunfo, que vinha realizando as atividades

Para ele, com as indicações feitas pela comunidade, será possível ter um resultado final mais integrado com a realidade de quem vive no entorno da Antônio Heil e com o contexto urbano da via. A limitação orçamentária, no entanto, reduz a possibilidade de grandes mudanças no projeto.

Os trabalhos serão retomados dentro da proposta original, sem uma nova licitação. Como há a possibilidade de mudanças dentro de uma margem do valor previsto, somente ajustes prioritários serão inclusos. Para a conclusão das obras, a estimativa é que sejam necessários cerca de R$ 20 milhões.

“Queremos a conclusão”

O prefeito Jonas Paegle destacou a importância da via como para a economia da cidade pelo acesso aos portos de Itajaí e Navegantes, além do aeroporto. “Queremos a conclusão, ao menos até a BR 101, pois, teríamos um escoamento direto”, resumiu.

Devido ao movimento gerado na intersecção das rodovias e a possibilidade de engarrafamentos, ele destacou a necessidade de uma atenção futura com as alças de acesso entre elas. Já vice-prefeito de Brusque, Ari Vequi, reforçou a demanda do município pela conclusão da obra. De acordo com ele, entidades empresariais já oficializaram um para que o governo estadual finalize os serviços da maneira mais rápida possível.

Mesmo com o posicionamento, ele defende que parte dos itens indicados, como a construção das alças de acesso para a BR-101, sejam consideradas pelo Estado em breve. Hoje, a situação envolvendo as melhorias não confirmam a execução da obra nesta etapa. “Não temos uma situação clara quanto a isso”.

Mudanças vitais

Caso todas as reivindicações fossem desenvolvidas, o valor da obra teria uma variação considerada alta pelo governo do estado e que parte deve ficar para uma segunda etapa. Entre passarelas, elevados, rotatórias o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni estima que seriam necessários cerca de R$ 60 milhões.

Segundo ele, parte das obras indicadas pelas equipes são consideradas fundamentais para as cidades da região, como a intersecção entre a rodovia Antônio Heil e a BR-101. Nela, quatro novas alças de acesso dariam mais fluidez ao trânsito local, na projeção do prefeito.

“Estávamos contando como obras da maior importância e continua sendo. Para nós é vital a conclusão destas demandas”, afirmou. Outro ponto destacado por ele foi quando ao quarda-corpo instalado na rodovia. Com a estrutura, ele afirma que a transição da comunidade entre os dois lados da rodovia para acesso à serviços como creches e escolas ficou prejudicado.

“Ela não pode ser entendida apenas como uma autopista, como uma pista de alta velocidade, como uma rodovia, quando temos muitas comunidades e que considerar essas questão urbana. Então, esta circulação entre um lado e outro da rodovia, a circulação e mobilidade urbana são vitais”, resumiu.


Fonte:

Deixe seu comentário