Portal da Cidade Brusque

Indústria

Internacionalização foi tema de workshop que reuniu empresários de Brusque

Objetivo é preparar empresas para possibilidades como exportação, importação ou alianças com concorrentes internacionais no Brasil e no exterior.

Postado em 23/07/2019 às 09:27 |

(Foto: Divulgação )

Pequenos e médios empresários de Brusque e região participaram, na última semana, do workshop “Desafios e Caminhos da Internacionalização”, que é promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), em diversas localidades. A iniciativa faz parte do Programa de Internacionalização, que tem como objetivo preparar as empresas para as diversas possibilidades que o mercado internacional oferece, seja exportação, importação ou alianças para fazer frente aos concorrentes internacionais presentes no Brasil e no exterior.

Segundo a presidente da Câmara de Comércio Exterior da FIESC, Maria Teresa Bustamante, que conduziu o evento, “o Estado é bastante diversificado, com industrias de vários setores que precisam se preparar e aumentar a sua competitividade, através de uma gestão de recursos, sejam financeiros ou humanos para entender todas essas regras e exigências que o mercado internacional faz, mas também desmistificar o pensando de que apenas as grandes empresas podem exportar”. 

“A FIESC tem o interesse em oferecer para a indústria todos os recursos que ela tem para que possa transitar por este caminho do aprendizado”, destacou a presidente da Câmara, completando ainda que, “o mercado brasileiro já é altamente globalizado e ele vai ficar mais ainda quando se escuta que o Governo vai reduzir as tarifas de importação, que assinou acordo Mercosul com a União Europeia, e outros acordos que vão estar sendo assinados nos próximos meses”. 

Ainda durante o workshop, os empresários participantes puderam fazer uma avaliação de maturidade de suas empresas para internacionalização, com perguntas sobre o produto que fabrica, habilidades, competências, estratégias gestoras, modelos de negócios e outras questões que servem para concluir está primeira avaliação. 

“Com essa informação, o empresário pode nos procurar e, de uma maneira individualizada e personalizada, a Federação disponibiliza um analista que vai sentar com ele e, a partir desta classificação que recebeu, vamos desenvolver um plano de internacionalização. Dependendo desta avaliação, o empresário saberá se precisa, por exemplo, aprender o que são incentivos fiscais. Ele vai ter uma série de cursos, seminários, conferencias e tirar suas dúvidas. Mostramos para o empresário que ele pode perfeitamente se internacionalizar e aumentar a sua competitividade”, conclui. 

A família de Francieli Heil, possui uma média empresa que atua na fabricação de telhas de aluzinco e pensa expandir o negócio, por isso procurou saber mais sobre internacionalização. “Muitas vezes falamos sobre importar ou exportar e não conseguimos definir o que na verdade é o termo internacionalizar. Além disso, foi muito bom saber que a FIESC nos oferece o programa de apoio para iniciar a ideia e, mais ainda, a avaliação de maturidade feita na mesma hora”, disse ela. 

Para o vice-presidente da FIESC no Vale do Itajaí Mirim, Ingo Fischer, a região de Brusque tem muitas empresas com possibilidade de ampliar os seus negócios. “Hoje nós temos que ser rápidos, tanto na importação quanto na exportação e essa palestra transmitiu muito conhecimento, pois nós como empresários, tanto pequeno, médio ou grande, nós precisamos estar sempre preparados para o futuro do nosso Brasil”, lembrou.

Fonte:

Deixe seu comentário