Portal da Cidade Brusque

DENGUE

Brusque registra 8 casos importados dengue

Aumento dos focos do mosquito da Aedes Aegypti preocupam autoridades epidemiológicas da cidade

Postado em 13/05/2019 às 15:33 |

(Foto: Divulgação )

Brusque já registra oito os casos confirmados de Dengue, todos eles considerados “importados”, ou seja, de pessoas que estiveram em cidades e estados onde há maior incidência de infestação de focos do mosquito Aedes Aegypti. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13) pela prefeitura, por meio do Programa de Endemias da Secretaria de Saúde.

Desde o início do ano, 35 casos suspeitos foram registrados, e dois ainda estão em análises por parte do Laboratório Central de Santa Catarina (Lacen).

Em relação a Febre Chikungunya foi um caso registrado, onde o paciente provavelmente adquiriu a doença no Rio de Janeiro. Sete pacientes suspeitos apresentaram sintomas da doença, e quatro ainda aguardam a chegada dos exames. Os demais já foram descartados. Não há registro de caso de Zica Vírus. 

O Secretário de Saúde, Humberto Martins Fornari, lembra que o Estado de Santa Catarina já está com mais de 400 casos da doença, e mesmo não tendo nenhum autóctone (contraído dentro do município), a cidade precisa ficar alerta e em vigilância no combate ao mosquito transmissor. “Brusque ainda pertence aquele conjunto de cidades consideradas de baixo risco para a contaminação da doença, mas o que nos preocupa é o aumento no número de larvas”, analisa o Secretário.

Desde o início do ano foi registrado acréscimo no número de focos do mosquito Aedes Aegypti, que transmite as três doenças. Somente este ano foram localizados 277 focos até o dia 9 de maio. No mesmo período do ano passado, o número era de 105. Os bairros com os maiores índices são: Santa Rita (66), Santa Terezinha (57), Centro I (44) e Nova Brasília (24). 

Prevenção
• Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

• Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.

• Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

• Mantenha ralos fechados e desentupidos;

• Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;

• Retire a água acumulada em lajes;

• Limpe as calhas, evitado que galhos ou outros objetos não permitam o escoamento adequado da água;

• Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;

• Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Fonte:

Deixe seu comentário